No início de 2015, a Banda Namoradeira passou por uma reformulação que abrangeu desde a formação instrumental do grupo até a concepção do processo criativo e de composição, iniciando então os trabalhos para a gravação de seu segundo álbum. Nessa nova fase, a banda Namoradeira explora a criação de um repertório introspectivo. 

Com a reflexão e aproximação das influências tradicionais da banda às vivências pessoais de pesquisas, aprimoramento técnico e outras influências musicais de cada integrante, o grupo constrói uma sonoridade impar, agregando ao ambiente festeiro, religioso, profano, comemorativo e tradicional caipira, os demais valores também agregados em um cenário urbano, seus anseios, suas ofertas, seus modos e sua formação.